28 de março de 2008

Início

Deu-lhe uma vontade superior. O sentimento arrebatou o medo em extravasar a ira de uma vida inteira de paixão. Finalmente o que até então era fraco e azul, tornou-se avalanche e invadiu, inundou e fez-se imóvel na significância daquele homem. De todas as suas incertezas, havia algo único do contrário – uma ilha de sensações. Agora sim, fez-se próprio de unicidade. O homem tornou-se sonho de realidade. Perdoou os arranjos e desatinou a sentir os pulsares. Era vida nova ali. A era do é, final.
São exercícios, práticas... lirismo.
Coisa de tempo batendo. Singelo.
Exercício Lírico do que é o mim.

7 comentários:

.raphael. disse...

E dá uma sensação que o personagem vai gritar, um misto de euforia e alívio. "... e desatinou a sentir os pulsares." Nada mais a declarar!

Beijo!

fael disse...

Essa semente promete!

E(toda) estréia nos leva ao encontro desse sentimento demasiado abstrato não é? Fruto dessa ansiedade (imperiosa)explícita pelo que virá d'alma que necessariamente triunfa.

Beijos P.!

Vanessa disse...

Adorei o visual do seu novo blog :)
E nem preciso dizer que os textos serão um mais lindo que o outro!!!
Beijos querida!

Marcus Vinicius disse...

Até que enfim!!!!


seja bem vinda e extravase tudo em palavras, versos e melodias!

bjs

Flavinha disse...

Patiiii!!

Cê tá de volta!! Que bom poder ler você, ainda mais. Tá lindo o layout, o texto nem se fala...

beijo, beijo, beijo!

Belíssimas Palavras disse...

Lírico!!! Tudo é lindo: o visual, os textos... Que bom poder ler coisas belas... Visitante assíduo do novo espaço... Aqui estou eu... Adorei!
Bjograndão.

Isabella Kantek disse...

Que coisa mais bonita:

"Coisa de tempo batendo. Singelo.
Exercício Lírico do que é o mim"

Beijo carinhoso,