5 de abril de 2008

Dia é todo

há um silêncio desconhecido
de mudança
preso nas falas tímidas dos gestos
desinibido

(Sons dos pingos das águas verticais - esse órgão ressumando.)

3 comentários:

.raphael. disse...

O silêncio faz com que ouçamos as gotas das águas, nos dias mais quietos e muitas vezes nos faz inqueitos, desinibindo esse desconhecido e fazendo de gestos tímidos uma mudança!

(Nossa, tentei inverter o seu dia--hehehe)

Beijos sempre!

Flavinha disse...

P., amor. Desculpa o sumiço. Coisas acontecendo no meu reino. Príncipe chegando, eu virando rainha (oh, meu Deus, cuide para que o beijo não nos faça coaxar!)... Mas vc no coração, sempre. Metade, claro.

Esse silêncio desconhecido de mudança... a gente ouve, ele se faz tão alto... que cala toda e qualquer tentativa do estático. E é bom ouvir essa voz - ela nos revela, às vezes, até mesmo quem somos.

Beijo-amor, amor-beijo.

inutilia sapiens disse...

'há algo aqui tão absoluto quanto o silêncio, e eu, me atormento tentando encontrar as palavras, tentando encontrar nelas uma forma de me aproximar da verdade e, em um lampejo súbito, capturar respostas que não existem...'