28 de abril de 2008

Novela Interrompida

Por pouco ou sempre que defendam os laços entre os íntimos de sangue, não se faz imprescindível este único fato real para que o acalanto chegue às faltas sentimentais de quem as tem. Outras são as precisões do homem iniciadas antes das certidões. As instituições são construídas no coração, templo finito, antes de sua função pulsadora de órgão. E o pensamento jamais conhece esse tempo contado dos dígitos.
Eu percebo meu lar dentro de mim, porque trago o mundo aqui. Sou porto e partida, não sei chegar. Entendo e sinto o gosto de solidão pela língua inteira em que se transforma o meu efêmero corpo.

Meus pés continuam a queimar.

3 comentários:

.raphael. disse...

"Eu percebo meu lar dentro de mim, porque trago o mundo aqui."

Lindo isso.. pqp!

e não deixe de queimar seus pés, continue!

Beijos

Flávia disse...

Outras são as precisões do homem iniciadas antes das certidões.

Ainda hoje minha mãe me disse que o maior amor do mundo é a amizade. Aquele amor determinado não pelo sangue, mas pela escolha do coração.

Então, amiga-metade-minha, minha-amiga-metade... o amor amor do mundo é seu. Sempre.

Beijo, beijo, beijo.

Diogo disse...

Pois é, acalanto nunca é demais.
Mas os pés pedem mais que o coração às vezes, pois levam porto e partida à chegada, mas só se deixarem!