12 de junho de 2008

Demonstrativo ou Coisa quase quente - quase fria de instante quase dia

aaa
"e vivo tranquilamente
todas as horas do fim"
Torquato Neto
aaa
aaa
Essa fortaleza obrigatória, nave sem pouso, porto distante: eu queria cair do abismo, ter morte violenta, já que o viver foi ultrapassar todos os riscos. Partilhei as minhas verdades e tenho de devolver as mais fiéis mentiras. Tenho? Essa coisa de viver, ser filha de Deus, é superficial para a impossibilidade que inteira me tornei. Essa meiguice, essa nostalgia, esse choramingar irrelevante, imprestável e acabador de mim. Só faz a porta da intolerância escancarar-se num rangido irritante. Que seja então a minha mão sobre a própria cabeça, também minha, num circular movimento até amanhecer, e o ofício a aniquilar o pulo do peito. Esse desejo de rasgar as paredes da rua e invadir o horizonte, esmurrar as montanhas, destruir essa serra quente. Esbravejar até a neblina desencantar. Essa percepção, enfim, de que o que se escreve jamais se torna verbal falado, ação pelas mãos; e que poesia é letra para todo analfabeto destacar defeito. Dar a mão à ignorancia e contentar e continuar Este Insuportável. Quem não me vê? Eu nunca fui descoberta.
aaa

7 comentários:

.raphael. disse...

Ler isso a noite, desperta! Tira o sono, mas nos faz refletir muito bem! Tão bem que me deixa sem palavras, só com vontade de ler, reler, reler...

Beijo! :)

Junkie careta disse...

"poesia é letra para todo analfabeto destacar defeito. Dar a mão à ignorancia e contentar e continuar Este Insuportável. Quem não me vê? Eu nunca fui descoberta"

Desculpe a intromissão,

Mas uma surpresa pra mim nessa blogesfera...

Moça,
Você é um talento. Sua prosa é inquietante,arrebatadora e comovente.

Parabéns

Anne disse...

Ui, que forte esse! Sem paciência ou apenas cansada? Partilhar as verdades é sempre lindo, mas é tb arriscado...eu ainda arrisco, prefiro as verdades, ainda que as doloridas e ditas na cara. Mentiras doces nunca deixam de ser mentiras.

Meiguice vc tem de monte, minha querida, eu acho isso lindo demais em ti. Se o mundo nao enxerga e nao descobre a pérola que vc é, a burrice é toda deles...

Bjo,bjo,bjo...até quando vc escreve "sem paciencia" fica doce...rs. Adorei conhecer vc, moça!

Flávia disse...

Eu entendo. Eu entendo...

Entendo.

Beijo e amor, flor.

Pavón disse...

Hummm...
Será que para ser descoberto nao precisamos permitir ser descobertos?
As vezes preferimos fugir de tudo, nos esconder debaixo da cama por que lá é sempre mais seguro, final monstros estão dentro do armário, lá nao me escondo. Mas debaixo da cama é escuro, e a luz do sol bate a janela pedindo para vc vir para a rua dar mais cor ao sol, e descobrir que apesar de todas as tristezas, viver VALE A PENA!! =))

Beijos

Belíssimas Palavras disse...

Engraçado, estava com emoção somente para ler este, acho que vim até aqui somente por este (neste momento) Lindo... Engraçado pensar que na doçura também se vê rebeldia - mas no sentido de inquietação.
Grande bjo... Estarei aí em Julho....

Diogo disse...

Calma.
Que mal te aflige?
O choramingar é justamente onde você não se acaba. Quer ver?
Imagine-se sem o choramingar. Viu?
Daí sim a explosão depressiva, e por conseqüência, fatal.
E pára com isso hein, tornaste possibilidade por inteira pelo que és, e jamais o contrário, e justamente por ser filha de Deus.
Bjo grande, e conta comigo, sempre, hein!!