1 de junho de 2008

eu viro pescador

aaa
aaa
se é p’ra ser desse mundo
vasto profano imundo
pelo descompromisso fecundo
noite dessas, eu viro pescador

se é definitiva vaidade
corpo inteiro inverdade
pela faceira idade
noite dessas, eu viro pescador

se é trabalho de graça
aberto braço à praça
pelos gritos e pirraça
noite dessas, eu viro pescador

se é amor acumulado
todo sorriso dedicado
pelo passo recusado
noite dessas, eu viro pescador

se é de punho nascido
olhar reconhece fenecido
pelo choro garrido
noite dessas, eu viro pescador

se é o mim singular
transferência ao lugar
pelo alivio, o abraçar
noite dessas, sem voltar, eu viro pescador

6 comentários:

.raphael. disse...

o bom de se tornar perscador é que podemos jogar os peixes ruins para eles viverem mais, pode-se decartá-los não!?
"Se é amor acumulado / Todo sorriso dedicado" Precisa-se de mais alguma coisa!? Não. Todo amor acumuldado nos deixa viver!

Lindo poema minha poetiza querida! :)

Os beijos de sempre!

LindaRê disse...

Eu tb queria ser pescador...

Flávia disse...

Eu quero virar pescador de mim, amiga...

Beijo, amor, beijo-amor.

Pavón disse...

Sabe...
Noite dessas eu falei para mim mesmo, vou virar pescador. Peguei as iscas, aquele negocio de pegar peixe, coloquei aquele chapéu do meu avô e fui pescar. Tu sabe que em São Paulo não há rio com peixe, mas a imaginação do homem é fantastica, subi lá no alto do meu prédio, sentei com os pés a balançar, coloquei a isca comecei a pescaria...
Lá, em volta aos meus pensamentos, sentidos, sentimentos, loucuras, verdades, eu pesquei até amanhecer... e quando acordei, descobri que toda noite quero virar pescador de mim!
Beijos

Kiara Guedes disse...

Ah, menina, sua rede já está cheia... também de peixe!
Bjs

Pavón disse...

Que papo é esse de pescando em sampa? EXPLIQUE-SEEEEEEEEEEE!! rsss
Beijos!