22 de agosto de 2008

Companhia para continuar sozinha


Foi um silêncio sem medida, numa quase noite mesquinha. Em raros segundos aquele choro minguado, mais ardente que neve aos olhos: como se o céu chegasse perto, e os pés girassem, e alma na calma de torturar.

As equações por toda parte e ela num cochilo sobre a carteira de canto. Sem perceber, o anel caiu dos dedos compridos dos membros cruzados, lotados das fraquezas desanimadas dos dias, num romper tremendo - o anel em aliança perdera as significâncias ao correr. Barulhou o metal na direção da planta do corpo. E no ritmo de aprender a ensinar, notou um sopro aquecido ao ouvido surdo para os sons da terra, e, num instinto de amor profundo, desenhou aquelas velhas mãos ainda dadas na lembrança. Essencialidade, retornou o metal circular pregando-se findamente. Notou o velho peso do falecido corpo nas costas de volta, o mesmo das brincadeiras de tempo passado, ainda vivo. Viu-se cheia dele, anjo protetor, novamente, curando-a do sono inoportuno em aula e libertando-a da única saudade ruim de se sentir. Permitiu os sorrisos de volta acompanhados da alma dele, ela aqui atenta (em sonho).
aaa

10 comentários:

Ceisa Martins disse...

Nossa... vou me abster de qualquer comentário.
Sempre a perfeição em demasia esse teu cantinho!

Beijos, moça!

Beatriz disse...

Levo comigo a nostalgia e a delicadeza do texto, e deixo flores enfeitando a tarde do teu domingo.

Beijos no coração, semana de alegria e paz.

.raphael. disse...

Que texto lindo. Estava ouvindo uma música na hora em que li, e pareceu uma trilha sonora para ele!

Beijosss

Ah, a música é Deixa do Baden e Vinicius.

LindaRê disse...

Lindo texto.
E essa é a companhia certa para se estar sozinha.

Bjs~!

vimaguin disse...

...tão bom quando podemos deter as lembranças que nos fizeram felizes, mesmo que sejam apenas doces recordações, na certeza de que tudo valeu a pena, aquí, ou acolá!...bjss

Kiara Guedes disse...

seria perceber o que sem perceber, que se vive, e não é preciso mesmo o viver.

Bjs

Abaporu disse...

"Não se preocupe em entender a vida, viver ultrapassa qualquer entendimento."

Ígor Andrade disse...

Lembro-me agora de aulas exaustivas na faculdade de engenharia. Um cochilo aqui e outro aculá.
Abraço!

Ultra Violet disse...

Penso que a melhor companhia para ficar só é a solitude, muito diferente da solidão.

Teu post me lembrou as cantigas de roda: "O anel que tu me deste era vidro e se quebrou. O amor que tu me tinhas, era pouco e se apagou."

Mas, só o tempo para resolvermos as equações elaboradas por nós mesmos. Nos decodificamos na espera de alguém, corajoso o bastante para tentar decifrar o enigma latente , até de si mesmo.

Bjs.

P.S.: Tô esperando o post...rs

Isaque Viana disse...

"...libertando-a da única saudade ruim de se sentir"

Sei bem o que você está dizendo, Pati. E olha, com uma companhia dessas, você nunca estará sozinha.
Mesmo que pareça. Entende?

beijo, rapá!