8 de agosto de 2008

Vai embora o que faz perder o Guerreiro

aaa
E foi embora, acredita (?), a tal companheira sem compromisso, a falsa presença amásia, coisa incrédula de se saber. Partiu e nem se despediu, perjura nécia. Nem mais se quis. Foi, intransitivamente. Infame, não deixou destino, largou os trapos trastes, imundos de mundo mundano.
O quem ficou, mal esperou: insoube do passado naquele presente e permitiu-se renovada pose. Adiante desejava dali, finalmente, dar frente aos pensamentos puros. Viveria com intenção, propósito e vontade. Nada em maldade, felicidade merecida o início de luz. Realidade renovada, coisa de prêmio por tanto de tempo a suportar ingratidades caras. Recuperou o ouro escondido, criou-se num instante o novo destemido. Famigerado de loucuras arriscou canduras, distribuiu ruídos, recuperou bravuras. Cravou as sete léguas, corajoso caçador da sombra seguideira. Sorria, num contente ardente em dentes, dante alva figura.
Quem sonhava concretizar ao pensar tal faceta benévola? Nem o dono do céu, nem o criado da terra. Houve ser nenhum que pudesse socorrer tal acontecidade. Deve ter sido criatura inédita, pois inquieta, depois do abandono relâmpago, aquela miséria.
Virou troço sem esquecimento, palavra singular corrente de língua morta, manto ostente, definitivo acontecimento.
aaa

4 comentários:

instantes e momentos disse...

belissimo post, muito bom, bem escrito. Inteligente, belo post. Belissimo blog. Vou voltar sempre com certeza.
Um bom domingo
Maurizio

.raphael. disse...

Que texto causador de intriga! Belo como sempre, é bom mudar, deixar de ser inerte para arriscar mais em outro lugar!

Beijos

Isaque Viana disse...

Eu sei quem é a tal companheira sem compromisso...
Eu sei.
Sempre lindo, né?

Sempre beijo, né?

fui.

O Profeta disse...

Errantes sentires percorrem
Este corpo nu de calor
Queda-se a vontade ao vento
Neste deserto de verde amor

Ai este grito contido
É lava rubra em minha garganta
Pio de pássaro preso às penas
Uma reza a fugir de alma santa


Boas férias


Mágico beijo