10 de setembro de 2008

Das marcas pequenas, as Liberdades imensas

Infinito é a imagem que pretendo nascer sempre; e é aqui, na raiz dessa mão que reflete meus pulsos que agora a trago, para que tudo que me é essencial torne combustível, mesmo depois da chama: que chama, inflama e ainda me liberta.

6 comentários:

LindaRê disse...

Lindo texto...

Anne disse...

Lindo...impressionante como dá pra dizer tanto em tão poucas linhas!
Menina, saudade de vc, por onde anda??? Como que some assim??? rsrsrs, pode nãoooooo. Dá sinal de vida, vai!

Adoooooro vc, espero q esteja tudo ÓTEMO por aí! Espero seus sinais de fumaça!

Beijosssss, montes.

Daniel Luciano disse...

Lindo e encantador como você minha lindaaa...

Amo você de montão !!!

Beijosss meu...

.raphael. disse...

Sua cara! hehe
vc e seus infinitos!:P

Beijaooo

Estava Perdida no Mar disse...

Ai ai...eu viajo de primeira classe para lugares muitos lindos toda vez que venho aqui.
Beijos

Ígor Andrade disse...

Liberta-me vir aqui!
Passei um tempo ausente, mas aos poucos leio tudo que perdi aqui.
Gostei da cara nova!
Abraços meus!