28 de setembro de 2008

Um afago doce precisado

A tua essência é, em favor de mim, esta completude à minha num afago doce em toda vez que me surra a saudade de ser o que, desfavoravelmente, sou quando tenho a identidade inserida aos olhos. Um afago doce precisado. Que cura da alma esta minha padecente presença quando me esvazio dela. Porque afago é coisa de quem sabe se doar em essência, este Ser sem caber. E quando afagas, amiga-metade, inauguras em mim um sorriso que não começa, mas continua.

Das fraternidades tantas, esta oriunda de mim pra ti é distinta. É-te dedicada aos preços sem limites, nascida e doada, incompreensível. Porque surge do imperceptível mais concreto que consigo prever nesta pele, que ainda consegue proteger e encaminhar os sentires. Nestas mãos que te doam, em todos os instantes, as minhas límpidas energias. Nesta saudade que eu sentia antes, quando ainda não conhecia o endereço da nossa amizade.

Eu ando dormindo as palavras, notas?! E tenho os pensamentos cercados de imagens panorâmicas, medindo esta geografia que separa os meus gestos e minhas cores dos teus, das tuas. Mas são as palavras adormecidas as criadoras do encanto que nos viciou neste mundo bonito que fazemos parte e nos acolhe no abraço de luz. E não há tristeza que retire a plenitude que encontramos nele. Se somos seres dos ideais utópicos, que permaneçamos: o presente futuro depende da utopia de amor que vertemos sem que ninguém nos peça.

de P. para F.,
amiga-metade-minha,
o meu sentir que não se diz, maior de mim, infinito.

6 comentários:

Daniel Luciano disse...

Lindo texto...

Taí...o presente futuro depende da utopia do Amor, sem que ninguém nos peça!!!

Amor não se pede, se conquista, não é?! :)
Basta estar aberto para este sentimento tão puro!

Amooo...
Meu beijo!

Leonardo Werneck disse...

Belo Texto moça!

.raphael. disse...

aeee Flavinha ganhanto uma bela homenagem!! eu quero tb... vc me deve um faz tempo! hehehe (eee ciúme) :)

Lindo texto!

beijao

Flavinha disse...

huahuahua, Raphinha com ciúmes!!

Eu posso te chamar de qualquer coisa. De amiga. De metade. De amiga-metade. De irmã. De Patrícia. De Pati. De Srta Lage. De Patizim. De Berry. De menina. De flor. De anjo. De coração. Eu posso te chamar de qualquer coisa, mas o melhor mesmo, o que me conforta, o que me faz feliz e em paz é que eu não preciso te chamar de coisa alguma. Eu simplesmente não preciso te chamar.

Porque você está aqui. Sempre aqui, no melhor de mim.

Você está aqui.

Dormindo as palavras ou não, o que nunca dorme é a tua luz - e essa amizade leal e certamente abençoada, esse amor sem tamanho, meu, do qual te fazes merecedora, e que por isso mesmo é teu.

Beijos meus e todos os sorrisos que nem cabem em mim, de tão gigantes. :)

AMO VC ASSIM, MAIÚSCULO.

Sujeito Oculto disse...

A amizade é o amor mais puro.

Estava Perdida no Mar disse...

Que lindo presente.
Melhor não há