23 de outubro de 2008

agora, essa hora

23 de outubro de 2008.


"Se quer seguir-me, narro-lhe; não uma aventura, mas a experiência, a que me induziram, alternadamente, séries de raciocínios e intuições. Tomou-me tempo, desânimos, esforços. Dela me prezo, sem vangloriar-me. Surpreendo-me, porém, um tanto à-parte de todos, penetrando conhecimento que os outros ainda ignoram."
João Guimarães Rosa


sons dos pingos das águas verticais.
o milagre que eu sinto para ver, e sim
meu órgão batendo, batendo, batendo...

(os gestos)

7 comentários:

.raphael. disse...

o mesmo ritmo dos pingos! Bonito demais!

Beijao

LindaRê disse...

a chuva e o coração...
lindo!

Beatriz disse...

Versos que me fazem lembrar que nem sempre a chuva que cai dentro de mim vem para reflorescer...

Fica um raio de sol na tua tarde.

Leonardo Werneck disse...

Batendo firme, forte e belo!

Kiara Guedes disse...

pra mim: fato. penso melhor qdo chove....
Minha poeta! Bjs

Flávia disse...

tum-tá,
tum-tá,
tum-tá,
tum-tá...
...

;)

Ígor Andrade disse...

Aqui sem "essa chuva".
Mas... batendo, batendo, batendo(parece que meu coração pensa).

Abraço forte!