23 de novembro de 2008

Travessia Obrigada

23 de novembro de 2008.

Com os olhos famintos do que há em frente: outros sins para descobrir. A alma que resta. A casa que espera. Um lar para ser. Lá. Todo pulsar em caminhar por entre o entre. O passado em curvas sinuosas e escondido nos moinhos em que o vento se transforma, breve, no ato da passagem veloz dos corpos. E ainda acelera a sombra. Ir sem chance de parada tendo a chegada a maior atitude de retorno. Que toda volta recomeça quando os braços continuam envoltos, outros. Doar as maõs, agora.

Segue.

16 comentários:

Linda_Rê disse...

Lindo texto, como sempre.
Mãos dadas, sempre.

bjs

Delfim peixoto disse...

Gostei e interiorizei.
Abraço

Lilian Dalledone disse...

Nossa, amei seus escritos!
Aquela coisa de "viver a noite toda de olhos fechados" é tão... sei lá, a minha cara!
Amei!!

Beijos!

Sunflower disse...

E a alma que resta não é qualquer resto de alma.

Beijas

Mai disse...

Oi,Patrícia.

É um quase silêncio que diz tudo.
Sou viciada em teus textos.

Carinho.

Monday disse...

textos concisos têm sempre um charme diferenciado: a arte de dizer muito em poucas palavras ... fica muito bom nas suas mãos, menina ...

Isaque Viana disse...

Então, já falei tanto, já disse tanta coisa, e agora finalmente, percebi que pra você palavras não bastam. Cê tá além disso, beibe.
Além.

Sumida-mais-linda-do-mundo,

beijo.

nota: sempre belo por aqui.

rogeriomarcal disse...

Excelente. Eu paro e leio, releio, e descubro mais e mais. É bom conviver, viver, experimentar, procurar em seus textos a sutileza da mensagem, o exercício, o lirismo.

Muito bom, adoro. =)

Bj

Leonardo Werneck disse...

Doar as mãos. Sempre!


Beijo

Ultra Violet disse...

Esse teu texto me lembrou uma frase que eu gosto muito:

"Seus braços ainda se abrem quando seu coração já se fechou."

Que o bom retorno te aguarde.

Bjs.

Van disse...

É, minha linda, tudo é cíclico.....
A vida segue em espiral constante.... ad infinitum.......

E em ti, tem muuuuuuuuuuuuuuita alma restante. Isso é coisa que não acaba nunca, amoreca.
;)
Beijucas

Beatriz disse...

"Ir sem chance de parada tendo a chegada a maior atitude de retorno."

Estou indo sem chance de parada e tendo a chegada como a maior atitude de retorno...

Te deixo um raio de luar brincando nos teus sonhos e um beijo nesse coração tão lindo!

Flávia B. disse...

Doar as mãos.

Mas a quem esteja em condições de receber tão nobre doação.

Né?

Pois é.

Amo vc, flor.

Beijos!

Pavón disse...

Doar as mãos cheios de sins, recomeços, novos começos, muitos começos entre braços, de mãos dadas com nossa caminhada... nossa unica travessia.

Lindo isso aqui pescadora...

Beijos!

rogeriomarcal disse...

Oi Patrícia.

Muito legal seu comentário, obrigado pela participação e opinião sincera.

Nossa, mas tente não se entregar assim. Quando chega aquela hora em que cansamos de tentar procurar respostas para as coisas sem encontrar, então talvez seja a hora de parar de procurar respostas. Ah, já que é tudo tão duvidoso, sem respostas, podemos ao menos tentar nos divertir inventando nossas próprias respostas, rsrs.

Fica assim não tá?

Força para você. E obrigado, viu.

Beijo.

.raphael. disse...

Que bela travessia. E que bonito o passado em curvas sinuosas estar escondido em moinhos, isso diz que sempre a saudade acelara com o vento.

Beijos