3 de dezembro de 2008

Eu sou partes inteiras em qualquer lugar

03 de dezembro de 2008.

"Cada dia é uma pequena vida."
Horácio

Eu estou num intervalo, e enquanto dissolvo-me neste acontecimento sólido, e que insiste em anoitecer os meus espasmos luminosos, eu sigo meu riso escondido de alivio. Quando fujo deste mim imposto, encontro o eu que eu mereço ser, e preciso, e vivo, e não consigo morrer.

Eu sou quem assume com o corpo esta dissolidez consistente abraçada ao espírito, apurada de limites, mas que alcança as distâncias que ouso traçar e percorrer no ritmo do pular dos meus pulsos, no bater da urgência na garganta. Porque eu não moro aqui, sigo e reúno-me no meu lugar que ainda há nas minhas atmosferas do desejo, apenas. E eu chego lá, aonde for, sem viajar. Até que a terra ganhadora de minha morada torna-se lugar nenhum.

Eu viro muitas, que imagina que me faço assim, de solidão. Sou os pedaços todos por aí, num encaixe companheiro eternamente porvir. Faço par com quem é inteiro, a frente disposta, uma morada aberta. Tão pedaços, tanto cais... Eu componho-me de quem me atinge, firme, eu completo-me de outros pronomes pessoais.

14 comentários:

Monday disse...

alguns eus vêm à tona apenas para respirar ... os seus costumam vir envoltos de tal beleza nas palavras que transbordam seu interior em paisagem ...

os olhos agradecem, menina

e como eu disse em sua última visita, algumas garotas são muito espertas ... rsss

Mai disse...

Oi, Patrícia.

Mesmo em pedaços, por vezes... Temos que ser inteirinhas, nosso EU, único e indivisível.

Novamente, impecável.

carinho, sempre.

Isaque Viana disse...

Emocionante.
Como eu disse, é te acompanhar daqui (Sigo essa hora e pego carona).

linda,

devagar, esquece o tempo lá de fora.


nota: duas música num único comentário. Ou adoro citações, ou me falta criatividade.

procê tudo de sempre.
Em 12x sem juros no cartão, claro.

Paulo R Diesel disse...

Em partes ou inteira, um texto para se pensar.

Flávia disse...

Hey, Patch.

eu já tinha lido esse, não? Acho que tu me mostrou... sonhar, eu não sonhei, acredito eu... se bem que tudo é possível nesse mundo nosso.

Enfim... fazer par com quem é inteiro talvez seja a melhor forma de não nos dissolvermos nos vazios alheios, não? De não nos paricularmos para preencher aquilo que não nos compete. Bom é completar-se de quem quer que seja, desde que esses "quem" sejam suficientemente alguém.

Tu, Patch, é um dos meus pedaços mais inteiros e lindos.

Beijos, muitos.

Flávia disse...

Agora que vi parcelamento no comentário do Zac, hahahaha!

Figura, este homem. Figura.

Beijões nos dois :)

Van disse...

Lindeza, Você é inteira!
Ponto.
Seja aos pedaços, seja remendando-se, seja lá ou aqui, reunida ou exilada....
Você é sempre INTEIRA!
E de uma inteirice tão tamanha que os outros ficam láááááá loooooonge, pequenininhos.
Pra ter ver, nêgo tem que olhar beeeeeem pra cima, saca?

Beijucas

Gabriele Fidalgo disse...

Olha, essa foi a coisa mais precisa que li hoje. Você escreveu algo com o qual me dentifiquei muito! Estou nesse momento também.
E na verdade tô gostando!

Beijos! :)

Cesar Oliveira disse...

o poema está lindissimo...

Sunflower disse...

"eu sigo meu riso escondido de alivio"

é esse da foto, não é?

beijass

Leonardo Werneck disse...

"Eu componho-me de quem me atinge, firme, eu completo-me de outros pronomes pessoais."

Gostei disso!!!

Pavón disse...

Dizem que somos pedações de tantos que passam por nós e deixam algo em troca de uma parte nossa, mas o que dizer dos diversos lugares que passamos e deixamos um pouco de nós em troca de um aroma, um olhar, uma paisagem, uma morada, mil risos, um sotaque, uma comunhão de lugares sem distinção alguma? Quem sabe não somos como os piratas, que navegam por mares de páginas em branco escrevendo as linhas de nossos sentires mais intimos, navegantes com a pátria sendo o mar ou o ar que nos carrega...

Beijos Pescadora!

.raphael. disse...

Que bonito Pati!!

Esse texto me fez lembrar uma música que a Zélai Duncan gravou:

"Entro em transe se canto, desgraça vira encanto
Meu coração bate tanto, sinto tremores no corpo
...
Cubro com as mãos meu rosto, sozinha no apartamento
`as vezes eu choro tanto, já logo quando levanto
Tem dias fico com medo, invoco tudo que é santo
...
Cubro com as mão meu rosto, sozinha no apartamento
Vivo voando, voando, não passo de louca mansa
Cheia de tesão por dentro, se rola na face o pranto
Deixo que role e pronto, meus males eu mesma espanto
Eu me transbordo em outras, determinados momentos"

é isso ai, você se faz parte em qualquer lugar!!

Beijoss!

Ígor Andrade disse...

Tu é inteira sempre, sabia?
Não consigo te ver em partes...
Abraço, abraço, abraço!