26 de janeiro de 2009

Palavra com som de ser

“Eu conheço esse outro mundo
Onde o tempo não dissolve
Eu te conquisto sempre
Você sempre me comove”



Os dedos dele iam compondo sons. Os dedos dele não sabiam outro caminho. Iam, não sabiam, num carregado de chegar. O importante é que eram os dedos dele, e aí, qualquer som viraria o som que deveria ser.
Foi culpa da palavra: bateu à porta e num sem-conter de mutar, virou melodia.

Som lá, palavras vertendo caladas aqui. Toque no aqui que somos dois, um. Porque é desde o fim, que foi começo, uma partilha de sensações que resumiriam risos assim de bailar a voz. Retomar os sons, riso também. Se som e palavra que grita um silêncio, singelidade fosse outro mundo que fizemos para compartilhar companhia. A natureza do som e outra atmosfera numa impresença típica – verdade, mentira. O que faz-se de importar? A face de todos os sons dele que enraízam trilha destas palavras modestas, dedico uns instantes de todo carinho. Os dedos dele compondo sons, os meus num frenético produzir de espelhos, num corte, num caçar de encontro. Típico, porque nem precisa combinar – o abraço é o gesto-som-palavra nosso preferido.

15 comentários:

Sam disse...

Ahhhh, moça....

Quando abraços se aportam nos cais do peito, ouve-se a mais bela das músicas quando num "tum tum tá" de um coração taquitaqueando, nascem acordes infinitos assim, sem o menor esforço.

Lindo texto

Abraços, flores e estrelas...

Lela disse...

Os dedos dele iam compondo sons.

Me lembrou alguém, brotou uma lágrima... Lindo!

Um beijo.

Monday disse...

sons e palavras? isso me lembrou de um poema, sobre o romance de versos e prosas que eu fiz pruma moça que você tão bem conhece ...

Esterança disse...

lindo texto,

sua escrita nos transporta por linhas generosas de pura emoção!
gosto disso, gosto de ser levada pela força do texto!


bjs!

Cesar disse...

os dedos fazendo sua composicao de sons e emoções ficou terna e memorial

bom demais te ler em parceria

' Rôh disse...

"Se som e palavra que grita um silêncio"
Que lindo, lindo mesmo texto, Sta. Patrícia. xD



Cheiro, Roh

.raphael. disse...

ahhh esses sons!

e "gesto-som-palavra" sem palavras!

Beijoss!

Sunflower disse...

é, os dedos sabem bem os "acordes"

beijas, muuuuuuitas

Isaque Viana disse...

Eu conheço esse texto. Acho que só o título tá diferente. Ou agora encontrou uma outra interpretação pra ele. Entende?


Nota: é, parece que eu gostei desse 'entende?'.

beijos, pá

.moony. disse...

*-*
adorei ^^
continue escrevendo o/*
não podemos parar ^^
bju
teh +
o/*
.moony.

molin' disse...

olá, me esbarrei sem querer aqui q adorei seu blog! mesmo
também acredito que o abraço ´´e mágico!
se quiser dá uma passadinha nos meus blogs =)
beeijos

Monday disse...

moça bonita do meu coração, tem meme e selo pra ti, lá no blog

R.Vinicius disse...

Patrícia gostei do seu post! Os sons do ser. Bonito, intenso, intimo como a voz. Entrelaçando suas linhas vê-se tua sensibilidade.

Abraço,

R.Vinicius

Mai disse...

O teu silêncio é eloquente.
Teu livro é o mais falante dos silentes.

beijos

Diogo disse...

O abraço é o gesto que ocorre por mensagens nano-instantâneas das células nervosas que em sinapse com as células motoras, que por suas vezes, são extremamente excitáveis, causam um entra sódio e sai potássio por meio de milhares de conexões para cada fibra muscular, em que as membranas pós sinápticas parecem a noiva na lua-de-mel (rs) e este transporte elétrico ocasiona, voluntariamente, o tal do abraço.
E veja você se alguma dessas coisas importa...
O abraço é simplesmente, o abraço, onde a eletricidade é a única parte que interessa nesse frio "tudo tem um porquê" fisiológico!!
1 bjo, teacher...