2 de novembro de 2009

Eu respiro Você

Eu acordo os olhos pela manhã e viro o rosto mirando o criado mudo com a gaveta que guarda a tua fotografia e eu a pego e sinto as tuas mãos no em meu colo como naquele momento com dia de tempestade pela manhã mas tarde toda de sol dos nossos risos altos e temperaturas também altas que era amor batendo querendo cedido...

Eu respiro.

Eu levanto apoiando meus passos na força que imprimo contra o peito a fotografia alva e velha mas com você e tuas mãos em meu colo com teu molde e que agora ensaia caminhadas e vive o futuro tão mal projetado enquanto ainda éramos pulso querendo e veja esta menina agora moça vestindo o jeans e prendendo os cabelos crescidos...

Eu respiro.

Eu caminho até a garagem para abrir os portões e entrar no carro que você não chegou a conhecer e ir caçar o leão do dia em marchas um dois três e que guarda as maçãs com casca e tudo no caso de precisarem salvar esta voz que espera por outro nome com efeito feito o teu e soar as palavras escondidas dentro de mim tão medrosa ainda e rugas...

Eu quando você.
Eu só quis mudar o mundo, mas sem você eu durmo. E ainda respiro.

3 comentários:

Erica Maria disse...

Como não respirar o encanto que tuas palavras transpiram?

Eu adorei o texto...


Bjos no seu coração*

[ rod ] ® disse...

E o respirar prossegue e sustenta o dom do pensar... neste dom resguardamos o direito de ainda viver por alguém... bjs moça.

Elcio de Carvalho disse...

Como pude ficar tanto tempo sem um mísero tempo de por aqui fazer uma hora?
Não te abandono mais.
Bjos irmãzinha.