27 de junho de 2010

Conjugando o tempo

Eu deveria ter me casado com o primeiro que vi pela frente. Porque era lindo. Porque tornou-se meu amigo. Porque meus olhos raramente fugiam da direção dos olhos dele quando conversávamos. Deveríamos ter casado. Engraçado, olho para esses panos e mal identifico as cores. Fato, eu deveria ter me casado.

Mas não o fiz. Vai ver é a escrita nas linhas tortas de Deus; vai ver sou eu o que fui antes. E não foi por falta disso ou daquilo, qualquer sentimento. Amor nunca nos faltou. Mas hoje, viveria uma viuvez doce, sem solidão, do mesmo jeito. Só o meu passado, em corpo e verbo, seria perfeito.

2 comentários:

Renata de Aragão Lopes disse...

Saudosa ternura...

Beijo,
doce de lira

Ana Claudia disse...

Perfeito.