18 de junho de 2010

Ex-detenta

Eu finalmente assinei os documentos, tirei as algemas e saí pela porta da frente. Sabe? Sentença dura por um crime tão popular, corriqueiro, cotidiano. Minha mão no fogo por alguém que jamais tenha se oferecido assim! Tudo bem que eram as contas pagas, as roupas lavadas, comida fresca... Mas minha índole tinha fome, sede e tara por bens muito mais sensíveis, burocraticamente falando.
Ir-me-ei.
Não quero ficar presa no passado. Nem com visitas conjugais.

1 comentários:

.raphael. disse...

"Nem com visitas conjugais" foi ótimo!

Que texto de arrebatado!! Com fúria na escrita! Rasgue o papel e caia fora! :D

Beijoss