2 de dezembro de 2010

Finalmente

E se esse viver passa a ser giros constantes em torno do que é naturalmente óbvio? E se for tarde demais para apagá-los?

O tempo consome minhas coisas:
a mobília da minha casa, a minha casa; as minhas utopias, os meus desejos, as minhas metas; a minha disposição...
O tempo levou os meus ensaios.

E se for a hora exata?
O tempo não levou a minha fé.
Então, eu vou.
Até.

"Too young to hold on and too old to just break free and run"

Jeff Buckley

9 comentários:

Mai disse...

As vezes O fim é apenas um ponto, uma fuga, uma perspectiva, um mote poético e infeliz.

Estou sempre aqui, Pat, porque você é viciante. Além disso, nunca mais e até para sempre, não existe por causa da sua poesia.

Beijos
fica bem!

Tainá Facó disse...

vai!
que a hora certa pra sentir, não existe.

Ceisa Martins disse...

O tempo também não me levou de ti...

Hélio disse...

Vai aonde??
Só de for comigo. Me desculpe se não estou ao seu lado sempre! Minha vida é sua.
Sua graça me completa.

Beijo princesa.

Sujeito Oculto disse...

O tempo consome a minha vida.

José María Souza Costa disse...

Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo Agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Se tiveres tuiter, e desejar, é só deixar que agente segue.
Um abraço e fique com DEUS.

http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

Monday disse...

Ah, menina bonita, o ano vai virar pó e o aspirador começará a trabalhar logo no primeiro instante de 2011 ...

Mas seja lá o que venha a acontecer, teu endereço sempre estará presente aqui na memória ... nem que seja para um simples olá ...

diego moraes disse...

Troço bonito pra caralho.

Raquel Amarante disse...

LindO!!